“Há 5 anos recebi um convite muito especial: retornar à terra e viver uma vida simples durante cerca de 2 meses. Nesse tempo descobri a simplicidade do pedir, a alegria de aprender debaixo de uma árvore, a elasticidade do momento presente.

 

A experiência que a UPG me proporcionou transformou-me verdadeiramente e, mais importante, vitalizou-me de tal modo que desde Julho de 2010 sinto que o tempo para mim parou: como se estivesse a viver um dia que se desenrola sem parar. Na prática percebo que plantei naquele país as sementes de um sonho que se foi concretizando ininterruptamente e que incluía e inclui a Natureza, as crianças, a comunidade, a nutrição e a aprendizagem.Hoje continuo perto da Natureza pois ela continuou a chamar-me até eu a escutar: caminhei por Portugal com a mesma sensação de pertença que vivi em Moçambique e, com os que fui encontrando no caminho, encontrei-me no meu próprio país.

Da experiência da escola da machamba trouxe a visão para uma escola nos socalcos do Minho e uni o melhor de dois mundos: o da simplicidade e o da abundância.A escola que se faz perto da terra faz-nos mais humanos nas nossas limitações mas também nos nossos talentos. Agradeço a todos os que me acompanharam naquela jornada e especialmente a quem me convidou pois foi desse chamamento que tudo surgiu.

Obrigada Mana Anabela!”