Saneamento básico, cuidados de higiene e uma fonte de água potável são essenciais para uma vida saudável, produtiva e digna.  Em Moçambique, apenas 43% da população tem acesso a água purificada. Este número desce para 30% quando olhamos para áreas rurais. Adicionalmente, Moçambique sofre frequentemente de emergências devido a desastres hidrológicos, como cheias ou secas. Vida saudável: A falta de acesso a água e saneamento básico é responsável por surtos de cólera e a diarreia é uma das maiores causas de doença e mortalidade nas crianças.

Desenvolvimento económico: as famílias estão restringidas na sua capacidade de trabalhar e estudar tanto por doenças como pela pesada de tarefa de caminhar largas horas para encontrar água Dignidade: desde 2002, o acesso a uma fonte de água para beber e uso doméstico é reconhecido como um direito humano pelas Nações Unidas Igualdade: a falta de uma fonte de água potável significa que são as mulheres ou raparigas que passam horas a carregar água.